Ivermectina vs Molnupiravir, uma comparação

O australiano Phillip Altman BPharm (Hons), MSc, PhD faz uma comparação detalhada de ivermectina e molnupiravir que a Merck está desenvolvendo como tratamento oral para covid.

Ivermectina vs Molnupiravir, uma comparação

Ivermectina vs Molnupiravir, uma comparação

Governos em todo o mundo já encomendaram US$ 700 de medicamento por tratamento, embora nem os estudos nem os dados de segurança de longo prazo tenham sido divulgados. Pesquisas publicadas anteriormente mostram que o Molnupiravir possui propriedades mutagênicas.

Uso proposto Ivermectin Molnupiravir
História Usado com segurança por mais de 30 anos (4 bilhões de doses) para várias infecções parasitárias, incluído na Lista de Medicamentos Essenciais da OMS. Os descobridores ganharam o Prêmio Nobel de Medicina em 2015. Inicialmente pesquisado há mais de 20 anos, mas abandonado devido a potenciais propriedades mutagênicas (empresa farmacêutica Pharmasset). Mais tarde transformado em pró-droga para Covid-19.
Mecanismo de ação Propriedades antivirais contra vários vírus de RNA. Os possíveis mecanismos incluem: interfere na entrada e na replicação do SARS-CoV-2 nas células humanas, ligação competitiva da ivermectina com a região de ligação ao receptor do hospedeiro da proteína spike do SARS-CoV-2, interferência na replicação viral por vários mecanismos possíveis . Antiviral de amplo espectro. Inibe a propagação viral por meio de mutagênese letal, introduzindo erros no genoma viral (1, 2)
Uso proposto para COVID-19 Prevention and treatment in all phases of COVID-19 in both vaccinated and unvaccinated populations. Reivindicado ser o primeiro medicamento antiviral oral para o tratamento de COVID-19
Uso aprovado Várias infecções parasitárias e sarna para uso humano em todo o mundo Ainda não foi aprovado

Dados de ensaios clínicos 31 estudos observacionais controlados, incluindo 6.800 pacientes, 27 estudos randomizados controlados, incluindo mais de 3.400 pacientes, múltiplas meta-análises confirmando benefício estatisticamente significativo em relação ao tempo de eliminação viral, tempo de recuperação, taxa de hospitalização e redução da mortalidade. Borody & Clancy (4) terapia tripla (ivermectina, doxiciclina, zinco) tratamento de 600 indivíduos PCR pré-hospitalares positivos para COVID-19 (dados de controle):
Redução de 90% nas internações hospitalares.
Sem mortes.
Sem retiradas devido a efeitos colaterais.
Todos os indivíduos tinham oximetria normal após o programa de tratamento
Eficácia clínica baseada em um único ensaio clínico. “Na análise interina, o molnupiravir reduziu o risco de hospitalização ou morte em aproximadamente 50%; 7,3% dos pacientes que receberam molnupiravir foram hospitalizados ou morreram até o dia 29 após a randomização (28/385), em comparação com 14,1% dos pacientes tratados com placebo (53/377); p=0,0012. Até o dia 29, nenhuma morte foi relatada em pacientes que receberam molnupiravir, em comparação com 8 mortes em pacientes que receberam placebo. Por recomendação de um Comitê de Monitoramento de Dados independente e em consulta com a Food and Drug Administration (FDA) dos EUA, o recrutamento para o estudo está sendo interrompido precocemente devido a esses resultados positivos.” (3)
Status Internacional  Usado amplamente e com sucesso em países como Índia, México, Peru e Argentina em programas nacionais de tratamento da COVID-19. A ivermectina é proibida de ser usada no COVID-19 na Austrália pela TGA.   A Merck está buscando Aprovação Provisória na Austrália e Autorização de Uso de Emergência nos EUA com base em um único ensaio clínico parcialmente concluído e sem dados de segurança de longo prazo.
Segurança A ivermectina é um medicamento com ampla margem de segurança estabelecida (5) e mais seguro do que muitos medicamentos não prescritos, como o paracetamol. Efeitos adversos graves parecem muito raros. O Instituto Nacional de Saúde dos EUA (NIH) considera a ivermectina “geralmente bem tolerada” (6). Desconhecida segurança a longo prazo e potencial mutagenicidade (causador de câncer).
Custo Custo mínimo O governo australiano comprou antecipadamente 300.000 cursos de molnupiravir – custo estimado de US$ 700 por curso. Estimativa de US$ 300 milhões.
Disponibilidade Agora
Disponibilidade genérica
Início de 2022
Patenteado

Referências

1. Brandon Malone and Elizabeth A. Campbell. Molnupiravir: coding for catastrophe. Laboratory of Molecular Biophysics, The Rockefeller University, New York, NY, USA. Published online: 13 September 2021 https://doi.org/10.1038/s41594-021-00657-8

2. Shuntai Zhou et al. β-d--hydroxycytidine Inhibits SARS- CoV-2 Through Lethal Mutagenesis But Is Also Mutagenic To Mammalian Cells. The Journal of Infectious Diseases® 2021;224:415–9

3. Merck News Release 1 Oct. 2021. Merck and Ridgeback’s Investigational Oral Antiviral Molnupiravir Reduced the Risk of Hospitalization or Death by Approximately 50 Percent Compared to Placebo for Patients with Mild or Moderate COVID-19 in Positive Interim Analysis of Phase 3 Study

4. Borody, TJ, Clancy, RL. Combination Therapy for COVID-19 Based on Ivermectin in an Australian Population. TrialSiteNews – 19 Oct.2021. This is pre-publication data. https://trialsitenews.com/combination-therapy-for-covid-19-based-on-ivermectin-in-an-australian-population/

5. The TGA Australian Public Assessment Report for Ivermectin (October 2013)

6. US National Institute of Health Covid-19 Treatment Guidelines (covid19treatmentguidelines.nih.gov Table 2e: Characteristics of Antiviral Agents That Are Approved or Under Evaluation for the Treatment of COVID-19”. https://www.covid19treatmentguidelines.nih.gov/tables/table-2e/