Ministra do STF Carmen Lúcia vai participar de Debate da esquerda Globalista

Ministra do STF participará de forum ministrado pelo professor "socialista liberal" de filosofia, Christoph Horn.

Ministra do STF Carmen Lúcia vai participar de Debate da esquerda Globalista

Na próxima segunda-feira, 23/09, a ministra do STF vai participar do debate em mesa redonda no âmbito do Fórum de Democracia Europa-Brasil, do diálogo sobre o Estado de Direito da Embaixada da Alemanha em Brasília, ministrado pelo professor "socialista liberal" de filosfia, Christoph Horn.

Em que pese o fato que o referido fórum se encerrou no dia 22 de agosto, é de se estranhar essa discussão em que a Alemanha, cuja democracia e soberania estão em franca decadência sob o comando de Angela Merkel, venha promover esse tipo de fórum no Brasil.

O que será objeto do diálogo sobre "estado de direito da Embaixada da Alemanha em Brasília ? Seria alguma artimanha para modificar o entendimento da Lei Penal Brasileira à respeito do assunto?

"É importante observar que o Código Penal não trouxe qualquer regra específica ati­nente às embaixadas, motivo pelo qual se conclui que elas, embora sejam invioláveis, não constituem extensão do território do país que representam. Assim, a título de exem­plo, a embaixada norte-americana no Brasil é território brasileiro e ao crime nela pratica­do será aplicada a lei penal brasileira – salvo a incidência de convenção, tratado ou regra de direito internacional. " (Manual de Direito Penal, Parte 2, 2019, Rogério Sanches Cunha)

Não basta ter havido esse fórum ministrado pelo
Professor de Teoria Política Contemporânea da Universidade de Bonn (Alemanha), Christoph Horn, que palestrou acerca do tema "Sobre a Crise da Democracia em Tempos de Populismo" e ainda querem fazer um debate "no âmbito do fórum".

O Prof. "socialista liberal" Christoph Horn é um daqueles que encara a ascensão de conservadores à Presidencia de países como "populismo". Nem sequer disfarça em suas argumentações filosóficas de meia pataca.

O Prof. é autor das seguintes pérolas:

"Quando vários países passaram por transformações sociais na década de 1990 ou mesmo no fim da Segunda Guerra, achamos que a democracia tinha vencido. Mas agora a democracia e as liberdades individuais sofrem ameaças na Europa, América Latina e outros países."

"Outra característica recorrente entre os populismos (o professor adota a palavra no plural por considerar as particularidades do populismo em diferentes países), segundo o palestrante alemão, é que os líderes contam com seguidores entusiasmados. Pessoas que colocam em xeque a autonomia dos três poderes e a independência da Justiça, tentam minar a mídia crítica, caluniam pessoas e utilizam meios questionáveis para atacá-las."

"A propagação de teorias da conspiração e de fake news pelas redes sociais, algo recorrente nas últimas eleições presidenciais no Brasil, é potencializada por algo que foi lembrado por Christoph Horn durante o fórum: "A apresentação de fatos pela mídia tradicional é questionada, muitas pessoas fazem uma procura seletiva de conteúdo pela internet"."
 

Perceberam as nadas sutis referências ?

As "transformações" que o Brasil sofreu na década de 1990 nos levaram a esse estado calamitoso das coisas, com corrupção desenfrada, roubo do dinheiro público generalizada, criminalidade em alta e o pior, a implantação gradativa do socialismo no País.

A tentativa de inverter a culpa pela situação do Brasil em quem coloca em xeque a autonomia dos 3 poderes, a independencia da Justiça e a tentativa de enaltecer  a mídia "crítica" e tradicional (diria mainstream) é apenas risível.

O professor Horn é um falastrão. Acredita que “a democracia moderna precisa ser assessorada por especialistas, cientistas”. Nada mais socialista nos moldes da extinta URSS do que esse pensamento do século 19.

Professor, faça um favor aos brasileiros de bem: vá tentar ajudar sua Alemanha. As coisas lá estão indo de mal a pior. Não precisamos de especialistas e cientistas, principalmente alemães, ditando nosso futuro. E deixe que os brasileiros de bem resolvam o que querem para nosso futuro.

E quanto a indelével socialista de carteirinha e ministra do STF,  que tal apenas cumprir suas funções, estabelecidas na Constituição?