Vitória de Elon Musk

Após uma batalha de duas semanas contra a oposição dos membros do conselho da plataforma, o auto-declarado absolutista de liberdade de expressão Elon Musk, o CEO da Tesla e da SpaceX e atualmente o homem mais rico do mundo, conseguiu sua tentativa de comprar o Twitter.

Vitória de Elon Musk

Em um comunicado à imprensa, o conselho do Twitter anunciou que havia chegado a um acordo com o multibilionário para vender 100% da empresa ao preço original de Musk de US$ 54,20 por ação.

Via PR Newswire:

O Twitter, Inc. (NYSE: TWTR) anunciou hoje que celebrou um acordo definitivo para ser adquirido por uma entidade de propriedade integral de Elon Musk, por US$ 54,20 por ação em dinheiro em uma transação avaliada em aproximadamente US$ 44 bilhões. Após a conclusão da transação, o Twitter se tornará uma empresa privada.

De acordo com os termos do acordo, os acionistas do Twitter receberão US$ 54,20 em dinheiro por cada ação ordinária do Twitter que possuírem no fechamento da transação proposta. O preço de compra representa um prêmio de 38% em relação ao preço de fechamento das ações do Twitter em 1º de abril de 2022, que foi o último dia de negociação antes de Musk divulgar sua participação de aproximadamente 9% no Twitter.

Bret Taylor, presidente do conselho independente do Twitter, disse: “O conselho do Twitter conduziu um processo cuidadoso e abrangente para avaliar a proposta de Elon com foco deliberado em valor, certeza e financiamento. A transação proposta proporcionará um prêmio em dinheiro substancial e acreditamos que é o melhor caminho a seguir para os acionistas do Twitter.”

Parag Agrawal, CEO do Twitter, disse: “O Twitter tem um propósito e relevância que impacta o mundo inteiro. Profundamente orgulhoso de nossas equipes e inspirado pelo trabalho que nunca foi tão importante.”

Musk vinha lentamente adquirindo ações no Twitter no primeiro trimestre, tornando-se o maior acionista da empresa no final de março.

Sua campanha altamente divulgada para fechar o capital da empresa começou há doze dias, quando ele se ofereceu para comprar 100% da empresa de capital aberto.

A perspectiva de um autodeclarado “absolutista da liberdade de expressão” assumindo o controle da empresa levou à indignação dos usuários progressistas da plataforma, bem como do Washington Post, de Jeff Bezos.

No caminho para adquirir o Twitter, Musk entrou em conflito com o membro do conselho do Twitter, o príncipe Al Waleed bin Talal Al Saud, da família real da Arábia Saudita, que se opôs à tentativa de aquisição.

O conselho também tentou bloquear a aquisição de Musk implantando uma estratégia de “pílula venenosa”, um movimento de jiu-jitsu corporativo destinado a aumentar os custos de uma aquisição. Parece que esses esforços falharam.

Em sua oferta de aquisição ao Twitter, divulgada à SEC, Musk afirmou inequivocamente que o objetivo por trás de sua compra era a restauração da liberdade de expressão na plataforma.

“Investi no Twitter porque acredito em seu potencial de ser a plataforma para a liberdade de expressão em todo o mundo, e acredito que a liberdade de expressão é um imperativo social para uma democracia em funcionamento”, escreveu Musk.

O CEO da Tesla e da SpaceX reiterou suas motivações em um comentário que acompanha o anúncio da venda.

“A liberdade de expressão é a base de uma democracia em funcionamento, e o Twitter é a praça da cidade digital onde são debatidos assuntos vitais para o futuro da humanidade”, disse Musk.

“Também quero tornar o Twitter melhor do que nunca, aprimorando o produto com novos recursos, tornando os algoritmos de código aberto para aumentar a confiança, derrotando os bots de spam e autenticando todos os humanos. O Twitter tem um tremendo potencial – estou ansioso para trabalhar com a empresa e a comunidade de usuários para desbloqueá-lo.”

Allum Bokhari é o correspondente sênior de tecnologia da Breitbart News. Ele é o autor de #DELETED: Big Tech’s Battle to Erase the Trump Movement and Steal The Election.