A cobertura falaciosa da imprensa canalha sobre improvável impeachment de Trump

Aqui tudo continua como antes: a imprensa vermelha só divulga o que lhe interessa, no esteio da tentativa sempre frustada de comandar a narrativa em favor de seus interesses escusos

A cobertura falaciosa da imprensa canalha sobre improvável impeachment de Trump
Agradecimentos especiais à Ana Paula Kenkel pelas valiosas informações contidas nesse artigo.

Tal como no Brasil, a esquerda globalista ataca o presidente Trump sistemáticamente, sempre se baseando em falácias. Esse movimento demonstra o desespero que tomou conta da esquerda após a ascensão de conservadores ao cargo de Presidente em vários países com verdadeira retomada dos valores irretocáveis da Direita.
 
Aqui a imprensa canalha não disse uma linha sequer sobre a tentativa de parar investigações sobre o filho do ex vice-presidente de Obama, contratado em 2014 pela Burisma Holdings, maior produtora privada de gás da Ucrânia como um de seus diretores.
 
“Exijo transparência de Biden e seu filho sobre os milhões retirados da Ucrânia”, afirmou Trump em Nova York. A oposição democrata acusa o presidente de ter usado seu posto para pressionar o presidente ucraniano a investigar negócios de Biden, em uma tentativa de atrapalhar o caminho de um potencial rival na disputa presidencial de 2020.
 
Trump nega qualquer irregularidade e seu governo divulgou a transcrição do diálogo, no qual o presidente de fato pede a Zelensky que investigue o assunto. Para o líder americano, a questão foi levantada num contexto de combate à corrupção na Ucrânia, mas Biden precisa de fato se justificar sobre o assunto. Segundo Trump, uma ala mais à esquerda no Partido Democrata tem capturado o comando da sigla, polarizando mais a política americana.
 
Ana Paula Henkel dá o tom sobre a situação real:

A situação é tão esdrúxula, que até a democrata (partido de esquerda) Tulsi Gabbard foi  categórica sobre o novo circo de um impeachment: “Fora da bolha de Washington, a maioria das pessoas não vai ver isso como algo convincente p/tirar um presidente, mas como uma manobra dos democratas p/se livrar de Trump”.
 

E aqui o vídeo de Biden se vangloriando de que ele não daria ao governo ucraniano o valor de US$1 bilhão se não demitissem o promotor que estava investigando seu filho e a empresa de gás ucraniana onde era diretor. "Se o procurador não for desligado, vc não recebe o dinheiro"



"Em 2016, o procurador-geral ucraniano Viktor Shokin, em sua investigação de corrupção envolvendo a Burisma Holdings, uma empresa de gás natural, identificou Hunter Biden como o destinatário de mais de US $ 3.000.000 da empresa. Não querendo expor essa corrupção, Joe Biden entrou em ação, usando garantias de empréstimos dos EUA como refém e exigindo a demissão de Skokin. Surpreendentemente, Joe Biden agora se gaba de suas ações nesse assunto."

A verdade é simples, a maioria da população americana não quer o impeachment de Trump. Os EUA nunca estiveram tão bem, ainda mais depois de governos socialistas favoráveis à agenda globalista. Essa pesquisa resume tudo: