Desarmamento, progressismo e homicidios: a verdade está lá fora

Baltimore quebrou seu recorde anual de homicídios per capita após atingir 342 assassinatos na sexta-feira.

Desarmamento, progressismo e homicidios: a verdade está lá fora
Foto: Bruce Emmerling/Pixabay

"Com uma das taxas de homicídios mais altas dos Estados Unidos, a cidade de Baltimore (Maryland, EUA) passou os últimos anos assombrada por uma criminalidade galopante e políticas públicas fracassadas. Depois de mais de cinquenta anos com o Partido Democrata no poder, a cidade sofre com medidas que falharam em frear a criminalidade."

Baltimore, antes uma bucólica cidade no Estado de Maryland, EUA, tem uma criminalidade que só aumenta ano a ano. Na última sexta-feira a cidade quebrou seu recorde anual de homicídios per capita após atingir 342 assassinatos.

Com a imagem abaxio, o Breitbart tenta entender o quê aconteceu com a antiga cidade, tecendo considerações que não batem a com realidade já analisada por veículos insuspeitos.



Ao especular que  "muitos acusam a polícia de adotar uma abordagem imediata ao combate ao crime, desde que seis deles foram acusados em conexão com a morte de Gray", quando estava sob custódia policial em abril de 2015" e com "o aparente fluxo livre de armas ilegais, os efeitos de uma epidemia punitiva de opióides, às desigualdades sociais e à falta de empregos decentes para muitos em bairros desprivilegiados" só faz tapar o sol com uma peneira.

Já em 2017 Baltimore foi considerada a cidade mais violenta dos EUA e as causas eram bem conhecidas. Lá, o Partido Democrata, de esquerda, está no poder há mais de 50 anos. Políticas assistencialistas fracassadas vitimizam em sua maioria negros e a maior parte das mortes está relacionada a drogas e gangues.

O Dr. Kevin D. Williamson, autor de “The Dependency Agenda”, livro que analisa a relação entre políticas assistencialistas e a permanência do Partido Democrata no poder já questionava naquela ocasião: "Quando a esquerda será responsabilizada pela violência em Baltimore?"

Nesse mesmo ano, a Gazeta do Povo escrevia em matéria sobre o assunto:

"O aumento da criminalidade e a permanência do Partido Democrata no poder, tanto no estado de Maryland quanto em Baltimore, com políticas progressistas que não cumprem a promessa de resolver os problemas, andam lado a lado.

O Partido Democrata, em todos os níveis - municipal, estadual e federal -, permanece completamente ineficaz e continua a falhar com o povo de Baltimore em cada mandato. Isso não é nenhuma novidade”, afirmou recentemente Sam Faddis, oficial aposentado da CIA e do Exército dos Estados Unidos e candidato ao Senado pelo Partido Republicano.

O fato é que o Partido Democrata fracassou em Baltimore e em todas as outras grandes cidades americanas nos últimos 50 anos. Cidades que antes foram exemplos brilhantes do progresso americano se transformaram em redutos de abandono, habitados principalmente por aqueles que não têm meios para se mudar para outro lugar", completou.

As políticas falharam desde os níveis mais elementares: as escolas de Baltimore sofrem com desempenho baixo e evasão alta. Trinta por cento dos estudantes da cidade não se formam no ensino médio, apenas 21% dos alunos são proficientes em inglês e menos de 20% são proficientes em matemática.

"Tudo isso apesar dos 50 anos da chamada guerra contra a pobreza e do governo progressista na cidade. O Partido Democrata teve 50 anos para cumprir as promessas que fez ao povo de Baltimore. Ele falhou", diz Faddis. Ele acrescenta que o Partido Democrata manteve o monopólio em cargos eletivos em Maryland por décadas: a Assembléia Geral é predominantemente democrata, sete dos oito congressistas de Maryland são democratas e ambos os senadores representando o estado são democratas."

O Brasil segue caminho bem semelhante com as medidas que vem sendo adotadas  pelo Congresso e STF ao tentar proteger os criminosos de colarinho branco que se aboletam nessas instituições e por consequencia inequívoca beneficando criminosos comuns, apesar dos esforços do Presidente Bolsonaro no sentido contrário.

Não permitir ao cidadão de bem ter armas, restringir e incriminar a atuação das polícias e órgãos de investigação e dar privilégios para criminosos vai nos levar ao mesmo destino das cidades mais violentas dos EUA, todas comandadas pela famigerada esquerda de lá.

Socialismo nunca deu certo em nenhum lugar do planeta. Nem mesmo na maior democracia do mundo, como se pode constatar.