Ministério da Saúde da Bolívia confirma: médicos cubanos trabalhavam com diplomas falsos

Médicos cubanos trabalhavam na Bolívia usando títulos falsos

Ministério da Saúde da Bolívia confirma: médicos cubanos trabalhavam com diplomas falsos

Sem nenhuma surpresa para nós brasileiros, o Ministro da Saúde da Bolívia, Aníbal Cruz, disse que alguns profissionais cubanos trabalhavam com falsos títulos inclusive em especialidades que não tinham. Eles também tinham em sua posse mais de 50 veículos oficiais.

Anibal Cruz Senzano é ex- presidente da Confederação Médica Ibero-Latina-Americana e do Caribe (Confemel) e ex-presidente do Colégio Médico de Bolívia, e assumiu o cargo de Ministro da Saúde na Bolívia no último dia 15/11.

A imprensa vermelha brasileira noticiou que em outubro/2019 mais de 700 médicos cubanos deixaram o país pelo rompimento do acordo pela Bolívia mas não deu uma nota sequer sobre a denúnica dos diplomas falsos feita agora em 17/12 pelo ministro boliviano.

O ministro ainda disse que os espaços deixados pelos cidadãos cubanos serão cobertos por médicos profissionais bolivianos para não interromper o cuidado com os pacientes em todo o país.

Foi só cair o governo socialista de Evo Morales na Bolívia para que a verdade viesse à tona.

O pt, partido dos trabalhadores que não trabalham, e que publicou há poucos dias uma revista enaltecendo o programa que escravizava médicos cubanos que foram enviados ao Brasil, não deve ter gostado de ver mais essa falcatrua socialista  revelada.

* com informações da RTP Bolívia